Cisco Meraki – Qualidade de Serviço – parte 1

Olá Pessoal,

   Como vocês podem ter visualizado no título, venho aqui hoje para trazer um pouco do conceito de configuração de QoS ( Qualidade de Serviço ) para dentro de nossa infra-estrutura Meraki.

Em nossos posts eu não vou entrar no detalhe sobre os conceitos de QoS e como isso é aplicado para determinada aplicação, porém se deseja saber um pouco mais recomendo você olhar alguns de nossos posts sobre QoS.

   Como já venho mostrando em nossos posts de Meraki, a ideia do produto e trazer de maneira simples alguns ítens que de fato gastamos um esforço gigante para implementar em nossos ambientes, desta forma para que você entenda vou iniciar falando sobre as configurações nos switches.

   Neste equipamento ( MS220 ) a unica demanda que existe para as configurações estão relacionadas como sendo a confiança da marcação que esta relacionado outro device conectado a porta ( ex.: Access Point, Phone ), ou você forçar a marcação baseado naquela demanda para qual aquela VLAN representa dentro de sua infra-estrutura.

   Segue abaixo a configuração nesse exemplo, onde ela pode ser acessada através ( Switch -> Switch Settings ):

   Como vocês podem observar eu deixei definido 3 VLANs, para qual eu possuo as 3 opções conforme mencionado acima. Para que vocês possam entender, vou fazer uma validação baseado na VLAN15 que de fato, está correlacionado ao que meu switch esta executando independente do meu end-point connectado a esse switch. Lembrando-se que obviamente este endpoint pertence a essa VLAN15.

   Como podem observar estou garantindo que meu trafego relacionado a esta VLAN15 está marcando meu trafego em AF41, ou seja, todo ” inbound ” será classificado desta forma, porém o retorno do meu pacote não tem minha marcação devido à não ter ” outbound ” como regra valendo-se do conceito de QoS ( Fim a Fim ) minha ponta remota teria que garantir que teremos a mesma marcação.

   Talvez vocês possam se perguntar. Ok, e a questão de confiança ” Trust ” baseado na VLAN5? Pois bem, nesse caso tenho um teste que conectado ao meu switch existe um “ Access Point “, que por consequência vou fazer com que via meu endpoint essa consulta ao ambiente, para qual esse device ( WIFI + VLAN 5 + SSID ) tem match com a classe de serviço ( Spotify ) e a mesma seja marcada com AF31

   Portanto, se olharmos nossa figura abaixo o ” packet capture ” foi executado no meu switch, dedicado a porta que meu ” Access Point ” esta conectado.

   Com isso vocês podem observar que meu switch apenas esta confiando na marcação que o meu ” Access point ” esta encaminhando nesta porta, não fazendo nenhuma remarcação. Talvez, agora vocês me perguntem. Porque agora ambos ( request / reply ) estão sendo marcados?

   Neste caso para essa aplicação eu tenho essa marcação, pois como comentei estou fazendo essa classificação em meu equipamento de borda ( UTM – MX64 ), que por consequencia ele vai entregar também para meu ” Access-Point ” classificado e marcado.

   Espero que vocês tenham gostado e o nosso proximo post vou trazer as menções dessas configurações na perspectiva do meu ” Access-point “. 🙂

Abs,
Rodrigo

0
0

Link permanente para este artigo: https://ciscoredes.com.br/2018/12/26/cisco-meraki-qualidade-de-servico-parte-1/

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate