VMware – História do NSX – Parte 1

Olá Pessoal,

   Gostaria de iniciar uma serie para explicar um pouco sobre esse produto da VMware que é chamado de NSX. A ideia dessa serie é tentar detalhar um pouco sobre as características dele e alguns caminhos que você pode utilizar para visualizar sua console, configurar e também fazer o deploy.

   Acredito que nem todos saibam mas esse produto inicialmente foi desenvolvido pela NICIRA chamado de NVP ( Network Virtualization Plataform ), onde era uma empresa focada em um software definido para redes ( SDN ) e virtualização, a qual foi fundada em 2007 por Martin Casado, Nick McKeown and Scott Shenker. Baseado em seu desenvolvimento e interesse de mercado a empresa foi adquirida pela VMware em Agosto de 2012 agregando esse produto em seu portofolio trazendo no conceito de SDDC ( Software Defined Data Center ). Praticamente após 1 ano de aquisição desse produto a VMware lançou no mercado trazendo o nome de NSX, onde de fato trouxe para esse player uma demanda denominada aqui como ” Networking ” ou literalmente para a fatia de mercado intitulada como rede virtualizada.

   Nos sabemos que VMware anteriormente tinha muito forte sua estrutura voltada especificamente para virtualização e atendendo muito bem a demanda dentro de ambientes de DC ( Data Center ), no qual agregava-se outros conceitos voltados para redes em seus parceiros, onde obviamente Cisco sempre foi uma grande aliada nesse setor, oferecendo soluções agregadas/compartilhadas a todo esse portfolio. Nesse momento vemos muitos confrontos de ” market share ” entre essas empresas devido a diferentes fatores que não irei detalhar nesse momento, mas que cada um pode fazer sua analogia e reflexão pessoal ( rsrs ).

   Muito bem, voltando para o detalhamento dessa solução, eu gostaria de colocar alguns ítens, para que para os futuros posts possa ser melhor aproveitado falando-se em terminologia e acrônimos. Se você não viu meu post sobre essa sopa de letrinhas, vale a pena verificar ” Acrônimos do mercado atual “, e claro, devido esses termos vou detalhar voltado para nosso tema:

  • SDS – Software Defined Storage ( VMware VSAN, EMC ViPR )
  • SDC – Software Defined Compute ( VMware vSphere, Hyper-V )
  • SDN – Software Defined Network ( NSX, Contrail, ACI [ A Cisco não gosta de caracterizar como SDN devido ao DNAc ] )
  • SDDC – Software Defined Data Center ( Flexível, Provisionamento DC automatizado )

   Com isso podemos agora mencionar sobre as versões que temos disponivéis para o mercado, onde tivemos algumas alterações para atendimento não somente de produtos VMware, mas devido agora este mundo onde precisa-se de multiplataformas, tendo a fisolofia que não pode atender apenas seu ” parquinho ” de equipamentos proprietários. Com isso posso trazer:

  • NSX-V – Somente atendido ao ambiente VMware ( vSphere )
  • NSX-mh – Multi-hypervisor utilizando multiplas images ( OpenStack, KVM, Kubernetes, ESXi, Hyper-V )

   Você pode estar se perguntando, mh? Sim, anteriormente foi assim denominado e agora ele é chamado de NSX-T ( Transformers ). Pois bem, e o que muda entre essas versões?

   Com o NSX-V, as organizações podem mobilizar a conectividade de rede entre máquinas virtuais e permitir que essas cargas de trabalho sejam conectadas de maneiras que, de outra forma, não poderiam ser entregues de forma eficiente pelo hardware de rede física. Na maioria das vezes, se você deseja executar uma infraestrutura de rede definida por software no âmbito do VMware vSphere, o NSX-V é a plataforma que você provavelmente usará.

   Em contra-partida o NSX-T foi projetado para lidar com estruturas e arquiteturas de aplicativos emergentes, que possuem terminais heterogêneos e pilhas de tecnologia. Um dos principais casos de uso do NSX-T é com contêineres. Na virtualização de hoje, estamos vendo mais e mais aplicativos sendo executados em ambientes fora das máquinas virtuais.

   O VMware NSX-T é integrado com o VMware Photon Platform, que é o sistema operacional centrado em nuvem que a VMware desenvolveu desde o início com os gostos do atual servidor vCenter em execução no topo dessa plataforma. O NSX-T também contém o plugin de interface de rede de contêiner ( CNI ) do NSX-T que permitirá aos desenvolvedores configurar a conectividade de rede para aplicativos de contêiner que ajudam a fornecer Infraestrutura como um Serviço. 

   Tivemos recentemente também atualização do NSX-T Datacenter que está co-relacionado ao NSX-Cloud, trazendo o conceito sobre MultiCloud com as integrações em AWSAzure. Eu irei detalhar um pouco sobre essa demanda, mas deixarei para o final, pois gostaria de trazer alguns conceitos antes para que possamos chegar nessa estrutura. Se quiser conferir sobre o assunto, você já pode verificar através do anuncio do NSX-T Data Center.

   Em nosso próximo post vou falar sobre o ítens que compõem o provisionamento do NSX ( Manager, Controllers, Edge, dLR, DFW, etc ).  :mrgreen: 

Abs,
Rodrigo

0
0

Link permanente para este artigo: https://ciscoredes.com.br/2018/06/14/vmware-historia-do-nsx-parte-1/

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.