Protocolo VTP – parte 1

Olá Pessoal,

  Hoje iremos falar de um protocolo utilizado em ambientes de rede local, para qual as informações do database de VLAN são transmitidos para todos os equipamentos pertencentes aquela LAN.

  O protocolo VTP ( Virtual Trunk Protocol ) é um protocolo da camada 2 utilizado para manter a configuração de VLANs consistentes em uma rede. O VTP é responsável por gerenciar as VLANs, criando, apagando e renomeando as VLANS existentes na rede.

  Em uma rede de switches sem o protocolo VTP o administrador de redes deverá manualmente fazer a criação de VLANs em cada um dos switches da rede. O que, dependendo do número de equipamentos e VLANs, pode se tornar uma atividade muito trabalhosa. Além do mais, com uma grande quantidade de configurações necessárias fica mais suscetível o aparecimento de erros na configuração ou erro humano na hora de inserir essas configurações nos equipamentos.

  Já com o VTP esse trabalho é reduzido considerávelmente, pois o administrador entrará com as informações em um único swtich, no VTP Server, que terá a função de distribuir e sincronizar essas informações para os outros switches da rede. Além da redução do trabalho esse método evita erros de configuração, uma vez que toda a parte da configuração de criação das VLANs pode ser realizada apenas no switch VTP Server.

  Os switches podem trabalhar em 03 modos dentro do VTP, são eles:

VTP Server:
Um VTP server pode criar, deletar e renomear VLANs. Ele também anuncia o nome do domínio VTP, a configuração de VLAN e o número de revisão da configuração para todos os outros switches dentro do domínio VTP.

VTP Client:
Um switch nesse modo não pode criar, nem deletar e nem renomear as VLANs. Dessa forma toda a alteração deve ser feita no VTP server.

VTP Transparent:
Nesse modo o switch precisa ter as suas VLANs configuradas manualmente. Um switch VTP Transparent não participa do VTP e nem anuncia para os vizinhos suas configurações de VLANs.

  Esse protocolo tem duas versões, a qual pode gerar incompatibilidade no meio em que os switches estão configurados. Hoje todos os switches vêm com o versão 1 por padrão, sendo assim se desejamos trabalhar com a versão 2 temos que habilitar manualmente, lembrando-se que switches mais antigos não suportam a versão 2, portanto terá que manter a versão 1 funcionando. Para configurar a versão seria:

CiscoRedes#configure terminal
CiscoRedes(config)#vtp version [1 ou 2]

  Um outro ponto que deve ser sempre verificado é a senha que pode ser configurada separadamente em cada switch, pois esse parâmetro não é enviado pelos anúncios de VTP, ou seja, se a senha estiver incorreta o seu switch não irá popular as informações do database de VLANs. Para configurar a senha seria:

CiscoRedes#configure terminal
CiscoRedes(config)#vtp password [senha]

  Chegando em mais um ponto primordial da configuração do VTP, a qual esta relacionado com o domínio para qual esse anúncios serão notificados, ou seja, para que seu switch armazene as informações ele tem que estar no mesmo domínio, senão você pode perder informações importantes nos anúncios. Para configurar o domínio seria:

CiscoRedes#configure terminal
CiscoRedes(config)#vtp domain [domain-name]

  Para exemplificar nosso conteúdo segue uma topologia:

VTP_1

 Nesta topologia vamos trabalhar dando exemplos de como será feita a configuração dos equipamentos, bem como entender o que os switches irão armazenar em seu database. Para quem tiver interesse temos um curso básico sobre VTP nesse site da Cisco ( http://www.cisco.com/warp/public/473/vtp_flash/ )

  Espero que vocês tenham gostado e no próximo post iremos explicar sobre os anúncios de VTP. Wink

Abs,
Rodrigo

0
0

Link permanente para este artigo: https://ciscoredes.com.br/2012/12/26/protocolo-vtp-parte-1/

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate